VISÃO:

Ser uma Instituição activa e reconhecida como parceira do Governo no processo de desenvolvimento económico e social do país.

MISSÃO:

Realizar acções de mobilização da classe empresarial, contribuir para desenvolver a capacidade competitiva das empresas, participar na definição de políticas económicas, promover as relações económicas e comerciais de Angola com o resto mundo.

META:

Fortificar a classe empresarial nacional, tornando-a mais dinâmica e consciente do seu papel no esforço pela diversificação da economia e aumento da oferta de bens e serviços de produção nacional, aumento da capacidade competitiva para redução das importações e criação de produtos exportáveis, geração de emprego e de rendimento.

DESAFIOS:

  1. Reforço da cooperação entre o Governo e a classe empresarial para criar sinergias com vista a construir e reconstruir as infra-estruturas, redinamizar os sectores prioritários e diversificar a economia, criar emprego, rendimento e contribuir para a redução da pobreza.
  2. Fomentar o empreendedorismo, a constituição de empresas competitivas capazes de inovar para criar bens e serviços que satisfaçam as necessidades das populações, mediante o aproveitamento racional dos recursos disponíveis.
  3. Influenciar a criação de instrumentos de suporte a classe empresarial com vista a facilitar o acesso ao conhecimento em matérias de gestão, ao crédito para o arranque de iniciativas empreendedoras e o desenvolvimento da capacidade competitivas das empresas. Tais como: fundos de fomento empresarial, de capitais de risco, de garantia, microcrédito, cooperativas de crédito, etc.
  4. Advogar pela simplificação dos processos de registo e legalização das empresas mediante a disponibilidade de serviços adequados do Estado em todo o país e a redução do valor dos emolumentos a pagar.
  5. Influenciar a reforma do sistema fiscal tendo como critério a redução da carga fiscal e o aumento da massa coletável.
  6. Contribuir para que a regulamentação da lei sobre os incentivos fiscais traga um sistema de incentivos que tenha em conta as especificidades das diversas regiões do país e dos sectores econômicos.
  7. Buscar a simplificação dos processos de registo da propriedade.
  8. Desenvolver e diversificar um sistema de formação e informação económica e comercial para as empresas.
  9. Promover a transferência de capital, tecnologia e know-how, por intermédio do apoio as missões empresariais, participação em feiras e outros eventos para captação de investimentos e formação de parcerias.
  10. Fomentar a criação de centros de arbitragem para estabelecer um bom ambiente para resolução de litígios decorrentes da actividade empresarial.
  11. Reforçar a capacidade da CCIA e das Câmaras Provinciais no domínio da prestação de serviços de desenvolvimento de negócios.

ESTRATEGIA:

Reforço da capacidade institucional das Câmaras Provinciais com vista a criação da Federação das Câmaras de Comércio e Indústria de Angola.