INADEC apreende produtos à venda com prazos vencidos

Compartilha

Mais de cinco mil quilogramas de produtos diversos foram apreendidos Pelo Instituto Nacional de Defesa do consumidor (INADEC), por apresentarem mau estado de conservação e prazo de caducidade vencidos.16/11/2020  ÚLTIMA ATUALIZAÇÃO 19H37

Consumidores finais estão a exigir maior qualidade nos serviços e bens postos à disposição © Fotografia por: Miqueias Machangongo | Edições NovembroMBROA apreensão dos produtos decorreu da primeira quinzena de Setembro até final de Outubro ao nível do país, e foi fruto de denúncias por parte dos consumidores.

Entre os produtos apre-endidos por caducidade e, consequentemente, impróprios para o consumo, constaram mais de 80 quilogramas de arroz, cerca de três mil quilogramas de farinha de milho, 860 quilogramas de peixe Cachucho, 11 Latas de Nesquik de 400g, um montante de 14 quilogramas de farinha trigo, 11 latas de papa Nestum, 18 frascos de chocolate da marca Certim, 26 caixas de Cerelac e mais de um milhão de sacos de batatas fritas, da marca Chips.

No mesmo período, foram apreendidos cerca de 156 caixas de bolacha da marca Parle G, 82 pacotes de sumo Lulu de vários sabores, 140 caixas de refrigerantes Blue, 293 suplementos variados de diversos sabores e para a manutenção dos músculos. Ainda, mais de dois mil pacotes de ração para cães, 105 frascos de óleo para cabelo da marca Ampla Plus Herbal, 144 caixas de batom e 11 caixas de pensos higiénicos da marca Alway Ultra.

Aos produtos acima mencionados acrescentam-se os fármacos cuja a data de validade estavam, igualmente, vencidas, em detrimento de várias farmácias existentes no país, que insistentemente colocavam à disposição do público para consumo.

Com relação a estes aspectos, a consumidora Séquia Kissabi João, operadora de caixa num dos estabelecimentos comerciais de Lu-anda, aconselha aos demais  cidadãos a adquirirem os produtos em estabelecimentos que cumprem com os pa-drões de qualidade comercializam bens com qualidade e em bom estado de conservação. Para ela, tendo em conta a actual situação da pandemia, é necessário que os consumidores estejam atentos aos produtos que adquirem nos mercados, uma vez que muitos operadores aproveitam-se do actual momento difícil para venderem os produtos fora do padrão de qualidade e do prazo de validade, aproveitando-se da desatenção.

Reembolso

Quanto às questões de mediação, com o objectivo único de dirimir conflitos emergentes de relações de consumo, o INADEC, durante o mês de Outubro, devolveu aos lesados quantia de mais de 15 milhões de kwanzas, montantes resultantes de actos de negligência, despreparo e má-fé de determinados fornecedores.

Tendo em conta o número crescente de denúncias e reclamações, com umn registo actual de mais de mil por mês, a direcção do INADEC apela aos consumidores a continuarem com as denúncias e reclamações por via do Call Center pelo número 126, sendo que, desta forma, o Governo conseguirá intervir de imediato para a resolução dos constrangimentos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.