Março 20, 2020 - 14:03

Audiência concedida a sua Excelência Senhor Embaixador do Zimbabwe em AngolaA

No dia 20 do corrente, sexta-feira o Presidente de Direcção da Câmara de Comércio e Industria de Angola, recebeu a visita de Sua Excelência Embaixador Plenipotenciário da República do Zimbabwe em Angola Senhor Thando Madzvamuse, acompanhado por dois dos seus Conselheiros.

O Embaixador na sua introdução, informou que a sua motivação em visitar a CCIA foi determinada pelo desejo de ver dinamizadas as relações de cooperação económica entre os dois países, pois se reconhece que nos domínios, político e diplomático a cooperação é boa e de longa data.

Para o efeito de reforço das relações económicas, o embaixador sugeriu a identificação das empresas do Zimbabwe que estão sedeadas em Angola, as empresas Angolanas no Zimbabwe e, em resultado depois de assinado um protocolo de cooperação entre as Câmaras de Comércio de ambos os países, estabelecer um Conselho de Negócio bilateral.

Conforme frisou, as oportunidades de negócio que poderão servir de base para cooperação empresarial, são diversas face as potencialidades e vantagens comparativas dos dois países. A título de exemplo o Zimbabwe é forte nos sectores da Agricultura, Pecuária, turismo e também na formação. Angola, tem recursos pesqueiros de que o Zimbabwe necessita, além de outros recursos como, terras aráveis, agua e atracão turística. Assim sendo, tudo indica que é possíveis as empresas partilharem estes recursos e contribuir para revitalizar a cooperação económica entre os dois países.

Em resposta o Presidente da CCIA, Senhor Eng. Vicente Francisco Soares, após da as boas vindas,concordou com as indicações formuladas pelo Senhor Embaixador Thando Madzvamuse, e sublinhou o potencial do Zimbabwe em consultores conceituados, cuja experiência é de relevante utilidade para Angola absorver para formação dos angolanos, bem como promover as parcerias sobretudo nos sectores da agro-pecuária, industria e turismo.

Foi igualmente expresso o interesse da parte angolana em retomar a participação regular nas feiras do Zimbabwe, sobretudo na feira de Bulawaio e, mais se enfatizou a necessidade da formação na língua inglesas para os angolanos e na língua portuguesas para os zimbaweanos, a fim de remover-se a barreira linguística e fortalecer a comunicação como instrumento de cooperação entre as partes.

Por fim as partes partilharam a convicção de no domínio da cooperação, Angola e o Zimbabwe são dois gigantes adormecidos, assim sendo o potencial de cooperação económica é significativo e deve ser bem aproveitado pelos empresários de ambos países.

Ler mais