Presidente da Câmara de Comércio e Indústria de Angola discursa na cerimônia de empossamento do novo presidente da Federação das Câmaras Bilaterais de Angola.

Presidente da Câmara de Comércio e Indústria de Angola discursa na cerimônia de empossamento do novo presidente da Federação das Câmaras Bilaterais de Angola. Clica no link abaixo: https://youtu.be/IkFRTy33vug

China quer entrar no cluster da mandioca

O embaixador da China anunciou ao ministro da Indústria e Comércio que empresas chinesas têm interesse em entrar na cadeia de valor da mandioca em Angola, participando na transformação e aproveitamento dos derivados do tubérculo de amplo consumo a nível do mundo.

24/04/2021  ÚLTIMA ATUALIZAÇÃO 10H24
Ministro da Indústria e Comércio (segundo à esquerda) dirige-se ao embaixador da China (centro à direita) durante o encontro © Fotografia por: Vigas da Purificação| Edições Novembro
Gong Tao reuniu-se com Victor Fernandes, ontem, em Luanda, num encontro realizado para analisar a cooperação económica entre os dois países e onde foi anunciada a participação de Angola em duas feiras comerciais que se realizam, este ano, na China. Segundo Gong Tao, o interesse chinês na cadeia da valor da mandioca transcende o puramente alimentar, incidindo, também, sobre os fins industriais, entre os quais se incluem os medicinais. O diplomata chinês disse ser interesse das autoridades  chinesas persuadir  empresários para as oportunidades que se podem vislumbrar nos pólos industriais, pelo que procurou obter do Ministério da Indústria e Comércio uma visão geral das iniciativas em curso, de modo a dinamizar o investimento industrial. Angola, declarou o embaixador para ilustrar as noções que a proposta encerra, tem um potencial que pode ser aproveitado para servir o mercado nacional, regional, mas também chinês e outros. O ministro da Indústria e Comércio elogiou o projecto anunciado pelo embaixador chinês no sentido de conhecer melhor o "cluster” da mandioca e referiu o arranque de uma experiência piloto em Malanje, no município de Cacuso, para a exploração e transformação da mandioca. Segundo  dados disponíveis na nossa redacção, Angola tem uma exploração anual de dez milhões de toneladas de mandioca,  colocando-se, assim, em terceiro lugar, atrás da Nigéria e dos Camarões. Indicadores do mercado global mostram que a indústria da mandioca movimenta mais de quatro mil milhões de dólares por ano, sendo que, em Angola, os factores produtivos podem ser aproveitados na produção de farinha da mandioca, derivados para a indústria cervejeira, saúde (xaropes), bem como a grande utilidade na indústria alimentar, entre outros interesses. O embaixador revelou, ainda, ter convidado o Ministério da Indústria e Comércio a participar em duas importantes feiras que têm lugar na China, o que o titular do pelouro confirmou, anunciando a participação de Angola na Feira de Comércio e Investimento China-África, em Setembro, na cidade Wuhan, e na Feira de Importação, em Novembro, na cidade Shangai. O ministro disse ter comunicado ao embaixador que Angola vai criar uma equipa envolvendo outros departamentos ministeriais e a Aipex, para levar à China, já nas duas feiras a que o país foi convidado, um sortido de produtos condizente com as metas preconizadas para os certames, que se realizam, principalmente, em formato virtual. Numa dessas feiras, Angola vai estar instalada num espaço reservado a países que têm uma relação longeva com a China, afirmou o ministro.

Encontro de concertação entre o Embaixador da Indonésia e a Câmara de Comércio e Indústria de Angola

Realizou-se no dia 25 de Março de 2021 um encontro entre o Embaixador da Indonésia Wisnu Edi Pratignyo, acreditado no pretérito dia 24 do mês em curso e a Câmara de Comércio e Indústria de Angola liderada pelo Eng. *Vicente Soares*.
O  encontro teve como objetivo o fortalecimento das relações entre a CCIA e a sua congênere da Indonésia entre outros assuntos de interesse mútuo a ser desenvolvido nos próximos tempos.
O Embaixador Wisnu Edi Pratignyo afirmou que o seu país pretende trazer investimentos para Angola e a sua experiência como produtor e explorador de petróleo e não depende de energias fósseis para alavancar outras áreas da economia.
Por sua vez, o presidente da CCIA garantiu a disponibilidade da CCIA em cooperar com a sua congênere da Indonésia na atração de investimentos de ambos países e para ambos países bem como em trocas de experiências.
O Embaixador Wisnu Edi Pratignyo esteve acompanhado de dois auxiliares
Pela Câmara de Comércio e Indústria de Angola participaram do encontro os seguintes membros:
Dr. Bonifácio Manuel  - 2° Vice-presidente da CCIA;
José Tondela - Diretor P/Formação
Estanislau da Silva - Assistente de Comunicação e marketing da CCIA.

Câmara do Comércio e Industria de Angola, realiza conferencia sobre o Agro-Negócio.

No ambito do seu programa de conferencias, a Direção da Câmara de Comércio e Industria de Angola, realizou no dia 17 de fevereiro de 2021 no auditório do Centro Polivalente de Formação Profissional, uma conferencia sobre o Impacto da Covid-19 na Actividade Empresarial. Proferiu o discurso de abertura da Conferência sobre o Impacto da Covid-19 na Actividade Empresarial o Dr. Mário João - Secretário de Estado para a Economia, em representação de S/Excelência Dr. Manuel Nunes Júnior – Ministro de Estado para Coordenação Economica, que na sua intervenção abordou sobre os desafios economicos levados a cabo pelo Executivo angolano, que tem enfrentado um ligeiro agravamento em função do surgimento da pandemia Covid-19, que obriga o Executivo liderado por S/Excelência General João Manuel Gonçalves Lourenço – Presidente da República de Angola, a desdobrar-se de forma sacrificada para fazer face aos efeitos negativos provocados pela pandemia  bem como adoptar medidas adequadas para a manutenção de um ambiente de negócio saudável e gerador de postos de trabalho. Coube ao Eng. Vicente Francisco Soares – Presidente da Câmara do Comércio e Indústria de Angola, proferir a mensagem de boas-vindas, no qual manifestou em nome da CCIA o seu agradecimento pela presença de S/Excelência Dr. Mário João - Secretário de Estado para a Economia, do Dr. Pedro Filipe – Secretário de Estado para o Trabalho e Segurança Social, bem como do Dr. Lacina Traoré – Especialista do bureau regional da OIT em Yaoundé. Na sequência, o Presidente da Câmara do Comércio e Indústria de Angola  fez uma breve incursão a volta dos constrangimentos causados pela covid-19 na atividade empresarial, apelando neste sentido a conjugação de esforços para ajudar a mitigar os efeitos negativos provocados pela pandemia da covid-19.   A respectiva conferência teve como oradores as seguintes individualidades:

  • Lacina Traoré – Especialista do bureau regional da OIT em Yaoundé – Que abordou sobre o impacto da pandemia para os empregadores e empregados, bem como dos ajustes feitos pelas empresas face aos contrangimentos provocados pela covid-19.
 
  • Rui Marques Alcobia – Advogado da CCIA – Cuja abordagem cingiu-se nos efeitos negativos da covid-19 na actividade empresarial em Angola;
 
  • Narciso Cariango – Que apresentou em breves notas os dados sobre o guia dos empregadores em Angola bem como da gestão do trabalho em tempo de pandemia.
Participantes:
  • Bonifácio Manuel – Vice-Presidente da Câmara de Comércio e Indústria de Angola;
  • Tiago Gomes – Secretário Executivo da CCIA;
  • Presidente da Câmara de Comércio da Provincia do Bengo e seu Secretário Geral local;
  • Representantes da Câmara de Comércio de Icolo e Bengo;
  • Empresários e Membros da CCIA.
Após intervenção dos oradores, deu-se início à um debate em torno do tema com contribuições positivas e criativas que mereceram a devida atenção dos presentes. O discurso de encerramento foi proferido pelo Dr. Pedro Filipe – Secretário de Estado para o Trabalho e Segurança Social, que em breves notas considerou o encontro positivo na medida em que abordou questões de grande interesse para a classe empresarial angolana e não só, tendo na ocasião encorajado a CCIA  a prosseguir com actos do genero.    

Câmara do Comércio e Industria de Angola, realiza conferencia sobre o Impacto da Covid-19 na Actividade Empresarial.

Câmara do Comércio e Industria de Angola, realiza conferencia sobre o Impacto da Covid-19 na Actividade Empresarial.

No ambito do seu programa de conferencias, a Direção da Câmara de Comércio e Industria de Angola, realizou no dia 17 de fevereiro de 2021 no auditório do Centro Polivalente de Formação Profissional, uma conferencia sobre o Impacto da Covid-19 na Actividade Empresarial.

Proferiu o discurso de abertura da Conferência sobre o Impacto da Covid-19 na Actividade Empresarial o Dr. Mário João - Secretário de Estado para a Economia, em representação de S/Excelência Dr. Manuel Nunes Júnior – Ministro de Estado para Coordenação Economica, que na sua intervençãoabordou sobre os desafios economicos levados a cabo pelo Executivo angolano, que tem enfrentado um ligeiro agravamento em função do surgimento da pandemia Covid-19, que obriga o Executivo liderado por S/Excelência General João Manuel Gonçalves Lourenço – Presidente da República de Angola, a desdobrar-se de forma sacrificada para fazer face aos efeitos negativos provocados pela pandemia  bem como adoptar medidas adequadas para a manutenção de um ambiente de negócio saudável e gerador de postos de trabalho.

Coube ao Eng. Vicente Francisco Soares – Presidente da Câmara do Comércio e Indústria de Angola, proferir a mensagem de boas-vindas, no qual manifestou em nome da CCIA o seu agradecimento pela presença de S/Excelência Dr. Mário João - Secretário de Estado para a Economia, do Dr. Pedro Filipe – Secretário de Estado para o Trabalho e Segurança Social, bem como do Dr. Lacina Traoré – Especialista do bureau regional da OIT em Yaoundé.

Na sequência, o Presidente da Câmara do Comércio e Indústria de Angola  fez uma breve incursão a volta dos constrangimentos causados pela covid-19 na atividade empresarial, apelando neste sentido a conjugação de esforços para ajudar a mitigar os efeitos negativos provocados pela pandemia da covid-19.

A respectiva conferência teve como oradores as seguintes individualidades:

  1. Dr. Lacina Traoré – Especialista do bureau regional da OIT em Yaoundé – Que abordou sobre o impacto da pandemia para os empregadores e empregados, bem como dos ajustes feitos pelas empresas face aos contrangimentos provocados pela covid-19.
  • Dr. Rui Marques Alcobia – Advogado da CCIA – Cuja abordagem cingiu-se nos efeitos negativos da covid-19 na actividade empresarial em Angola;
  • Dr. Narciso Cariango – Que apresentou em breves notas os dados sobre o guia dos empregadores em Angola bem como da gestão do trabalho em tempo de pandemia.

Participantes:

  • Dr. Bonifácio Manuel – Vice-Presidente da Câmara de Comércio e Indústria de Angola;
  • Dr. Tiago Gomes – Secretário Executivo da CCIA;
  • Presidente da Câmara de Comércio da Provincia do Bengo e seu Secretário Geral local;
  • Representantes da Câmara de Comércio de Icolo e Bengo;
  • Empresários e Membros da CCIA.

Após intervenção dos oradores, deu-se início à um debate em torno do tema com contribuições positivas e criativas que mereceram a devida atenção dos presentes.

O discurso de encerramento foi proferido pelo Dr. Pedro Filipe – Secretário de Estado para o Trabalho e Segurança Social, que em breves notas considerou o encontro positivo na medida em que abordou questões de grande interesse para a classe empresarial angolana e não só, tendo na ocasião encorajado a CCIA  a prosseguir com actos do genero.