Adiada audição do PCA do BCI

Compartilha

O presidente do Conselho de Administração do Banco de Comércio e Indústria (BCI), Filomeno Ceita, já não será ouvido no início desta semana na Direcção de Nacional de Investigação e Acção Penal (DNIAP), por se encontrar ausente do país.

Fonte da Procuradoria-Geral da República (PGR) confirmou ao Jornal de Angola que Filomeno Ceita foi constituído arguido no caso que envolve o deputado Manuel Rabelais, durante o período em que foi director do Gabinete de Revitalização da Comunicação Institucional e Marketing (GRECIMA).

A fonte da PGR acrescentou que o advogado do PCA do BCI solicitou à PGR o adiamento da audição pelo facto do seu cliente encontrar-se ausente do país. Com Filomeno Ceita, foi notificado o  gestor da conta do GRECIMA, naquela instituição bancária, cujo nome não foi mencionado.

Neste caso, a Direcção de Nacional de Investigação e Acção Penal vai mandar uma segunda notificação para o interrogatório. A Procuradoria-Geral da República  já constituiu arguido o deputado Manuel Rebelais, por haver indícios de factos que constituem “actos de gestão danosa de bens públicos, praticados enquanto director do Gabinete de Revitalização da Comunicação Institucional e Marketing (GRECIMA), entre 2012 e 2017.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.